sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

(f'

eu quero, mas sei que não dá .
queria que resultasse, mas somos demasiado diferentes .
nunca dá certo . por que iria dar desta vez ? contigo ? e logo contigo ... ?
foi estranho . mas foi tão bom enquanto não pensava . sim, porque quando penso arruíno tudo .
passou tudo tão rápido . mas parece que foi ontem .
continuas a ser o rapaz impossível que me tirava o sono, aquele que me roubava um sorriso por cada mensagem .
confesso que cada vez que ia à praia, era na esperança de te ver .
e de todas aquelas vezes, repetiria vezes sem conta, todas elas .
suponho que serás sempre aquele que me tirará o sono, que me fará sorrir com um simples "olá" .
confesso que me senti muito bem - incompreensivelmente bem - quando me deste a mão, e andamos assim . senti-me bem; senti que não era a primeira vez que andávamos assim, e que não seria a última .
mas sei que isto não vai para a frente, tem tudo para não ir para a frente .
sejamos realistas . tu, o menino popular, com tudo no sitio . eu, que não tenho nada a ver contigo .
não há hipótese alguma .
tenho que zelar por mim, e fazer o que vocês - rapazes - fazem . esquecer e seguir em frente .
[ - só um problema. acho que não vou conseguir esquecer aquela "conchinha" .

2 comentários:

Shiine* disse...

Bonito texto!

CG disse...

Nunca tentes esquecer o que te fez sorrir.