sábado, 23 de agosto de 2008

Lutei contra ventos e marés, contra medos e ilusões. Cada vez que o barco tinha um furo, punha'se um remendo. O barco foi navegando, por mares perigosos e tenebrosos. Tempestades e neblinas eram uma constante. Mas apesar disto tudo, imaginavamos algo melhor. Que iamos conseguir chegar onde nunca ninguém chegou. O barco estava cada vez mais vulnerável, nós também. Os remendos tornavam'se repetitivos e tudo o que faziamos ia perdendo o valor. Foste para um lado, e eu para o outro. Podia ser que os dois juntos, mesmo que separados, conseguissemos chegar onde queriamos. Mas o barco foi partindo e partindo aos poucos. Não restou nada do barco. A viagem ficou a meio. O sonho de chegar ao perfeito foi em vão. Junto com os destroços foi a vontade de viver, a esperança de chegar e a força para lutar. Remamos contra marés e isso desgastou'nos. Talvez um dia alguém descubra os destroços e aí, talvez, a verdade seja desvendada.

1 comentário:

ManelaCasaNova disse...

nao sei onde para o meu comentario daqi , ai ja a brincadeira --'
mas tu ja sabes o qe penso xD
ta excelente ;D

<3